Resenha | Me ajude a chorar, Carpinejar

Compartilhe

Fala meu povo, tudo nos conformes? Hoje temos Me ajude a chorar, do Fabrício Carpinejar. O livro é uma coletânea de texto altamente confessionários, mas o que isso significa? Que você também está exposto em Me ajude a chorar. Carpinejar escreve sem pestanejar sobre qualquer assunto, aborda temas como família, relação com país, morte, amizades entre outros, mas de uma forma totalmente íntima, biográfica.

É difícil falar de um compilado, então separei alguns dos textos que mais gostei. O primeiro deles PAI DE MEU PAI, já dá aquele aperto no peito, sem tamanho, fala da relação entre jovens e velhos, li com aquele nó na garganta, ainda nessa linha, CORAGEM DA CHUVA trata a relação dele com o pai e em copo seus pais eram diferentes, a mãe temia a chuva e o pai a desafiava.

Quem enxerga fantasmas não vê os vivos […] Entenda, minha amiga, só ama quem está disposta a ser amada. PORQUE VOCÊ NÃO ARRUMA NAMORADO?

Na frase acima ele dialoga com a leitura, quase como um amigo próximo. mostrando que é preciso superar as coisas antes de começar coisas novas. É pegar os cacos do prato quebrado, limpar a casa (alma) e seguir em frente.

Mas só existe amor eterno com escolha. Foi feita uma escolha.
Finalmente uma escolha que pode durar para sempre.
Não é uma imposição. Não é cativeiro. Não é o termino da aventura.
É o início de todos os inícios. É o início de todos os nossos fins.
AMOR IRREVERSÍVEL

Precisa falar algo?

Em LABRADOR CARAMELO, Carpinejar fala sobre a insistência de um cão traçando um paralelo com o amor, onde devemos ser insistentes quando nos falta a coragem, ou quando estamos esperando a outra pessoa tomar a iniciativa, ele arremata com a frase “Bater à casa quando o amor foi embora, não somente quando ele está dentro. Formar a casa diante da casa. Formar esperas”. Em o AMOR TEM SONO LEVE, somos agraciados com o amor incondicional de um pai à sua filha. E ainda em A MAIOR TRAGÉDIA DE NOSSAS VIDAS, somos a agonia do autor diante da tragédia na Boate Kiss, em Santa Maria, Rio Grande do Sul.

Os adolescentes não vão acordar na hora do almoço. Não vão se lembrar de nada. Ou entender como se distanciaram de repente do futuro.
A MAIOR TRAGÉDIA DE NOSSAS VIDAS

É sempre assim com coletâneas, só consigo falar dos textos. O mesmo aconteceu com o Ruptura, do Robson Gamaliel e com o livro do Sarau do Binho. assim a vida segue. Porém, agora tenho o conforto e abraço do ME AJUDE A CHORAR, que alem de ser essa avalanche de confissões, é um acalento para a alma e um grande abraço do Carpinejar em seus leitores. Livro de cabeceira para momentos de crise, abra, escolha um e leia. A intenção é muito clara, e está na orelha do livro: “Me ajude a chorar diz que você não está sozinho, nunca esteve, jamais estará”.

O livro não se restringe a esses textos, cada texto serve pra uma ocasião diferente e carrega o peso de toda uma experiência de vida, então o momento da leitura vai dizer o seu real significado ou o que ele realmente significa para você. É genial.

É isso aí, até mais.