Rush Hour | Dando uma chance

Compartilhe

E ae loucos por séries, tudo certo? Estão prontos pra mais uma série que vem por aí? Hoje vamos de Rush Hour, que sem firulas é Hora do Rush, sim igual aquele filme de 1998 com Jackie Chan e Chris Tucker, só que dessa vez com Justin Hires (21 Jump Street), no papel do Detetive Carter e Jon Foo (Tekken), atuando como Detetive Lee.

A trama é clássica, dupla improvável de policiais que devem trabalhar juntos. Carter é o típico policial de Los Angeles, que não segue pelas regras, mas que obtém resultados Lee é o tradicional japonês com uma caracterização mais informal, que está em Los Angeles para investigar a “possível” morte da sua irmã e as conexões com o crime organizado – A.K.A. Mafia – japonês.

Rush Hour - CBS - Dando Uma Chance - Beconerd (1)

A primeira release que saiu, a do Deadline, vem com o título ‘Rush Hour’ Review: CBS’ Adaptation Stuck In Traffic Jam Of Banality ou “Review: Adaptação da CBS, Rush Hour fica presa no engarrafamento da banalidade” Imagino que esse tipo de série já esteja saturada a anos, e hora do Rush é uma franquia que já tem 3 filmes, então é normal ler na resenha que “você não vai encontrar nada que já não tenha visto” eu não tenho grandes expectativas quanto a série, mas espero que seja algo que divirta, afinal se a química da dupla funcionar é certo que a série também.

Após a polêmica do Oscar com a diversidade, hora do Rush chega em uma boa hora, já que ela vai retratar dois esteriótipos muito comuns no cenário norte americano, como o negro piadista e o asiático que domina artes marciais, em alguns meios isso pode ser visto de forma negativa, o que vai render comentários sobre a série. O próprio ator Justin Hires comentou as alegações de que a série é estereotipada dizendo que “Eu sou Afro-Americano. Eu sou um comediante. Eu faço piadas. Isso não é um esteriótipo. É uma realidade sobre quem eu sou como pessoa” e mais “Eu não acho que estamos retratando esteriótipos negativos nesse show. Estamos mostrando a verdade sobre quem é a América e quem nós somos”. (Deadline)

Rush Hour pode muito bem ser  palco de debates raciais e de preconceitos no show business e uma grande chance para a CBS. Vamos ver como ela se desenrola nesse B.O., vou parar de escrever que isso aqui já está virando um manifesto, então deixo que tirem suas próprias conclusões com o trailer:

Achei sensacional, nostálgico, promissor o/

rush hour - cbs - beconerd- dando uma chance

É isso aí até a próxima.