Crítica | Batman Vs. Superman, falar de mim é facil, dificil é ser eu

Compartilhe

Eae Fellas, tudo certo? É com essa frase de perfil do Orkut que vai no título, que inicio a crítica de Batman Vs. Superman: A Origem da Justiça. De antemão já aviso que não dou notas a filmes, mas se o fizesse Batman Vs. Superman estaria ali entre 7 e 8, digo isso pra terem uma noção do teor desse texto, mas vamos aos fatos.

Vou começar por coisas mais triviais e que não podiam decepcionar de forma alguma, como a trilha sonora que é assinada por Hans Zimmer, que é o mito eterno das trilhas sonoras e Junkie XL. Em todo o filme ela se destaca tendo nuances entre os personagens e na batalha final ela é simplesmente foda, a sonoplastia já não é tão boa, o foley deixou a desejar, tem um momento que o Lex Luthor dá um tapinha no peito do Superman e parece que ele bateu em uma caixa de madeira.

Relacionado | Filme da Semana: Batman Vs. Superman – A Origem da Justiça

As cenas de lutas, na minha opinião que não jogo vídeo game tem um tempo, já que ouvi por aí que tem muito do jogo de Arkham nelas, não foram péssimas, só a sequência do sonho do Batman que foi mal coreografada, mas as demais são tops, e a batalha final, mais uma vez salva tudo, com a presença da diva suprema e lacradora Mulher Maravilha. Quanto a violência do Batman nas cenas é aceitável, uma vez que o cara está de saco cheio e putão com tudo, então é razoável ele ter resquícios de crueldade, e matar um ou dois capangas do mal, ressaltando, do mal.

Batman Vs. Superman - Origem da Justiça - Critica - DC Comics - Beconerd (5)

Sobre o Ben Affleck como Batman, sim eu tinha medo e como boa parte do filme, teve coisas que agradaram e coisas que não, no geral ele como Morcegão da Noite é interessante, mas, às vezes ele faz umas caras de bobo que desagradam, isso porque a própria máscara do Batman já é carrancuda, como Bruce Wayne ele é razoável. Pelo jeito os executivos da Warner gostaram, já que ele vai ganhar uma trilogia só pra ele, além da participação na Liga da Justiça e outros filmes, então quem sou eu pra contestar quem tá pagando as contas? É como o Christopher Nolan disse para o Affleck: “Ele pode ficar irritado, quando está vestindo a fantasia”.

batman vs. superman - origem da justica - beconerd - critica
Batman é dos Crossfits

Estamos totalmente cobertos com a redoma dos filmes da Marvel que não possuem o teor sombrio da DC Comics e estamos a sombra da Trilogia Cavaleiro das Trevas, do Christopher Nolan, que não pode ser usado como métrica, afinal é uma obra prima do cara, dificilmente chegaremos nesse patamar novamente e mais, ainda colidimos com um Batman Detetive e Justiceiro nela, o Batman que todo mundo gosta. Pra mim, Batman Vs. Superman é a premissa para sonhos maiores e não um filme único, ele é parte de algo muito maior, a Liga da Justiça, propriamente dita.

Batman Vs. Superman - Origem da Justiça - Critica - DC Comics - Beconerd (4)

Claro que lidamos com uma expectativa enorme quanto ao filme e a cena da luta do Batman Vs. Superman, mas fellas? Eles são heróis, a premissa para o round é fraca, sim. Falta um ou dois ideais? sim, mas a proposta era mostrar que o Batman podia parar o Superman e não uma cena de Rocky vs. Apolo Creed, então, foi válida. O pecado maior foi a participação do Lex Luthor, mesmo. Ele é mais psicótico do que uma pessoa ardilosa, como Lex Luthor ele daria um ótimo Coringa, ou uma versão meia-boca dele.

Batman Vs. Superman - Origem da Justiça - Critica - DC Comics - Beconerd (1)Simplesmente adorei o que fizeram com o Superman nesse filme, o dilema de ser um super herói de estar fazendo o que é certo, de ser certo o que se está fazendo foi muito bem trabalhado, e você ver um dos personagens mais poderosos de todo o Universo DC impotente, é impagável. Não impotente por causa de um inimigo que possa vir a ser mais poderoso do que ele, mas sim por não saber se deve ou não fazer o que acha certo, mostrando que o psicológico pode afetar qualquer um.

Agora, para tudo. Vamos falar da Princesa Diana. A participação da Mulher Maravilha nesse universo masculino e machista dos heróis é mítica, quebrando diversas barreiras que a sociedade impôs nos últimos anos e indo de encontro a luta por igualdade dos direitos, que estamos vivendo atualmente, se faltou ideologias na luta do Morcegão contra o Capa Vermelha, A Mulher Maravilha em si representa um ideal, ela é a quebra do paradigma e rouba a cena de dois heróis consagrados nas telonas em sua primeira aparição no cinema. Ela apanha pra valer, pra mostrar que não é sexo frágil e bate como nunca antes. #somostodosDiana

A única coisa que achei um pecado capital no filme foi a sequência de abertura que conta a origem do Batman, aquilo é ruim, brisado, só faltou o Bin Laden aparecer sem camisa cantando “Tá Tranquilo, Tá Favorável, é grau, é grau. Olha pra trás e dá tchau”. Achei ofensivo, todo mundo sabe quem é o Batman e a sua origem, se não sabe escolheu o filme errado, por outro lado a sequência seguinte com o Bruce Wayne em Metrópolis, lembrando muito um 11/9 é sensacional, o corte de uma pra outra que foi bestona, com a tela branca “Batman é apresentado ao Superman” pra que essa porra? respira… respira… ufa. Ahhh! VSF, eu sei o que fui assistir. !@#$%

Tá Tranquilo, Tá Favorável.
Tá Tranquilo, Tá Favorável.

A verdade é essa o filme se sustenta por coisas que foram muito fodas e coisa que deixaram a desejar, como qualquer outro filme, e como já disse Batman Vs. Superman é parte de uma coisa maior, se o próximo filme não agradar, talvez eu fique puto, mas nesse momento o filme é OK e incrivelmente empolgante, eu vibrei com o Batman batendo no Superman, simplesmente por ser o Batman fazendo isso e com a Mulher Maravilha, por ser, bem, a Mulher Maravilha. E é isso, blockbuster lindo que vai lacrar nas bilheteria.

batman vs. superman - origem da justica - beconerd - critica
Diva Suprema, lacradora final. Vish

Ainda vou deixar aqui mais duas críticas, ou uma e meia. A do Carlos Cardoso, do Meio Bit que tem o mesmo tom que a minha e que é infinitamente mais embasada e do Bruno Zago, Pipoca e Nanquim, que ainda não é a crítica final, mas uma deixa do que está por vir.

É isso aí pessoal, até mais.