Resenha | All You Need is Kill, Sakurazuka Hiroshi e Takeshi Obata; JBC

Compartilhe

Bom pessoal, semana passada teve o primeiro post sobre mangás aqui comigo comentando um pouco as previews de Limit e de Terra Formars (♥), hoje nós vamos falar dessa obra bonita e compacta que é All you Need is Kill. Com apenas duas edições, All you Need is Kill, de Hiroshi Sakurazaka com ilustrações de Takeshi Obata, o mesmo desenhista da série Death Note. Oh, até parece que entende do assunto.

Em All you Need is Kill, a terra foi invadida por alienígenas que estão sugando o planeta e detonando nossos recursos naturais. Esses extraterrestres são chamados de mimetizadores, e só podem ser combatidos por trajes mecanizados. A história gira em torno de Keiji Kiriya, um soldado novato que morre em sua primeira investida contra alienígenas, mas se encontra atordoado por voltar após a sua morte para o dia anterior a investida. Basicamente é isso. A história é construída através das inúmeras repetições do dia de Keiji.

No meio dessa confusão, eis que surge a menina dos olhos, Rita Vrataski, uma enigmática e carismática jovem, que rouba a cena legal, como uma personagem forte e destemida, a luta de Rita contra os mimetizadores assume um caráter mais pessoal, que vamos entendendo no decorrer da trama. Talvez esse aprofundamento da Rita tenha ofuscado o personagem de Keiji que não teve suas origens tão exploradas.

Em dado momento, Keiji e Rita passam a andar juntos, isso quer dizer, todos os dias Keiji faz a sua linha do tempo favorecer esse encontro dele com a Rita. Mais próximos um do outro a cada repetição eles acabam ficando íntimos, o que traz uma carga emocional para o mangá e dá abertura para cenas emocionantes durante a leitura, mas vou parando por aqui, porque é realmente difícil fazer a resenha de um mangá sem dar alguns spoilers.

Como está escrito lá em cima, o mangá é ilustrado pelo Takeshi Obata, e mesmo sem ter lido Death Note (juntando grana pra Black Edition), deu pra perceber a semelhança no traço só de ver uma ou outra imagem do trabalho do cara pela internet, a ilustração é sensacional e o caos em algumas cenas chega a ser extremo. Os combates são um detalhe a parte. É uma pena o mangá ter apenas 2 edições, podia ter pelo menos mais uma, e estender um pouco mais as coisas, é breve como um sopro e destruidor como uma temporal.

Pra você, que é como eu, um reles mortal começando a explorar o universo dos mangás, ou reexplorando, vale a leitura, pois é uma ótima porta de entrada para um universo em expansão, que, por exemplo, nos leva a Terra Formars, que tem a mesma temática Sci-fi da obra, e de uma porrada de obras que virão por aí, como Ghost in the Shell e Akira que serão relançadas este ano pela JBC. Por enquanto, não sou um expert no assunto, mas dá pra aproveitar bem a leitura.

Antes que eu me esqueça, se você também é fã de cinema, All you Need is Kill, também foi adaptado para o cinema em No Limite do Amanhã (Edge of Tomorrow), com Tom Cruise e Emily Blunt nas peles de Keiji e Rita. Claro, na versão norte americana o personagem do Tom se chama Cage, mas sabemos o que eles querem dizer. E se você deseja possuir o mangá em sua coleção, a JBC ainda conta com o plano de assinaturas para isso, com os dois volumes e com desconto, consegui a minha assim. 🙂

Até a próxima.

Leia mais Resenhas